INSTITUCIONAL

A Federação Catarinense de Teatro é uma instituição sem fins lucrativos fundada em 1978. Seu objetivo é defender os direitos dos artistas, produtores, técnicos e educadores da área do teatro catarinense e difundir seus trabalhos. A entidade é declarada de utilidade pública estadual desde 1994 e em 2013 passou a fazer parte da Constituição do Estado de Santa Catarina como Patrimônio Cultural do Estado.

A entidade realiza dois importantes eventos para organização da área:


A Fecate é coordenada por gestões bienais. A atual gestão (2016/2017) é composta por:

Lariessa Soligo da Campo
lariessa.campo@gmail.com - (49) 9 8821-9330
Carretel Cia Teatral
Concórdia (SC)


Bárbara Biscaro
barbara.biscaro@gmail.com - (48) 9 9958-4278
Artista independente
Florianópolis (SC)

Leandro Magalhães
magalhaesle@gmail.com - (47) 9 9963-9901
Sua Cia. de Teatro
Itajaí/Florianópolis (SC)


Fred Paiva
paivasilva@gmail.com - (47) 9 9972-6950
Cia Alma Livre
Jaraguá do Sul (SC)

Vânia Peruzzo
gtpiliquinha@gmail.com ou (49) 9 8844-8103
Grupo Teatral Piliquinha
Concórdia (SC)

Emanuele Weber Mattiello
ewmproducao@gmail.com ou (48) 9 9145-0019
EM Produções
Florianópolis (SC)

Presidente: Qiah Salla, de Rio do Sul (SC), Contato: qiah@sallacultural.com

Conselheiros: 
Cássio Correia, de Joinville (SC)
Gláucia Grígolo, de Florianópolis (SC)
Silvestre Ferreira, de Joinville (SC)
Valéria de Oliveira, de Itajaí (SC)


Presidente: Marcelo de Mello, de Joinville (SC), Contato: momello7@gmail.com

Conselheiros:
Deise Corrêa, de Rio Negrinho (SC)
Rodolfo Lemos, de Itajaí (SC)

Atualmente representamos o Teatro Catarinense no Conselho Estadual de Cultura (CEC), que integra a Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), do Governo de Santa Catarina.


Daiane Dordete
daiane_dordete@hotmail.com
Florianópolis (SC)

Silvestre Ferreira
silvestre@dionisosteatro.com.br
Joinville (SC)


CARTA AOS FILIADOS DO CONFECATE 2016

Caras federadas e federados,

O encontro realizado em Rio do Sul, em março de 2016, tornou evidente uma necessidade de reestruturação interna da FECATE. Muito além das deliberações necessárias, dos relatos dos conselheiros nas instâncias de representação do poder público e uma difícil eleição, o encontro expôs o esvaziamento da participação dos teatreiros e teatreiras de Santa Catarina na construção de um movimento coletivo que nos una. Expôs o cansaço e a fragilidade em que se encontram as pessoas que se envolvem e acreditam que a federação seja importante tanto pela sua história, quanto pela continuidade de uma articulação real entre as pessoas do Estado.

Estamos falando de uma pergunta afetiva: qual o sentido da coletividade dos grupos, artistas e técnicos e técnicas de Santa Catarina? Para onde caminhamos quando atingimos um esgotamento no contato com as instituições e o poder público? Em um momento político e econômico delicado, em que o país se encontra imerso em uma crise ética que vem promovendo a olhos vistos um desmonte de inúmeras estruturas públicas que possam construir igualdade social e cidadania, o encontro de Rio do Sul evidencia uma ambiguidade presente em cada pessoa que esteve aqui: o reconhecimento que deve existir e persistir uma instância coletiva que nos una como parte fundamental para nossa sobrevivência, mas o igual reconhecimento das limitações e das dificuldades de cada um em suas cidades de origem em manter seus próprios trabalhos e vidas na correria do dia a dia. 

Reavaliar as estruturas significa começar um processo de reconhecimento interno da FECATE. Refazer perguntas básicas que não são feitas há muito tempo: quem somos? Quais são as pessoas que constituem o coletivo FECATE neste Estado? Quem são as pessoas que desejam estar e trabalhar para que essa coletividade crie sentido e força? Quais seriam novas formas de organização para esse coletivo tão diverso? 

A decisão tomada em assembleia caminha para uma diminuição de atividades em prol de ganhar qualidade nas ações. Nesse sentido, encontram-se suspensas muitas das atividades contínuas da federação como, por exemplo, o festival bienal que a FECATE vem promovendo há dezoito edições. O momento é de reavaliação e planejamento, é uma hora de reorganização dos desejos e sonhos do coletivo de artistas, produtores e produtoras culturais frente ao momento social, político e econômico que vivemos em nosso país.

Esta é uma chamada a todas e todos para fazerem uma reavaliação sobre sua participação nesse coletivo. Nos próximos meses será feito um recadastramento de federadas e federados. Serão adotados procedimentos para que se faça um mapeamento de quem somos e, a partir destas informações, construiremos coletivamente um pensamento dos rumos que queremos tomar nos próximos anos. A tônica deste procedimento é perceber quem fica e quem vai em um processo que não é somente a manutenção burocrática de uma federação: é quem se propõe a trabalhar em um processo de luta pela potencialização da coletividade como força em nosso Estado. 

A FECATE é feita de pessoas, companhias e coletivos teatrais. A proposta que surge aqui é uma renovação dos modos de ação e das bases conceituais que norteiam a federação. O convite se estende a todos que desejam participar deste processo. A lógica da nova coordenação dos trabalhos passará pelo processo de empoderamento dos participantes em suas ações e a construção de uma administração horizontalizada, para que o núcleo da FECATE se torne um espaço de efetiva troca, discussão e fortalecimento humano dos envolvidos e das envolvidas. Um espaço de resistência e existência. Um espaço constituído e habitado por pessoas e não apenas por papéis, instituições, leis e verbas. A luta e a resistência política continuam, como sempre existiram. Mas surge o desejo de ir além disso, para que o movimento continue promovendo o contato humano e artístico entre nós, em outras formas que dialogarão com os anseios atuais.

Aguarde novas notícias nas próximas semanas, com as instruções de como esse processo será feito. Também leia as atas e documentos gerados no ConFECATE, para se informar sobre as pessoas que formarão esta nova gestão e os acontecimentos mais detalhados do encontro. 

Atenciosamente,
FECATE

--
 A nova diretoria da Fecate ficou assim composta:


PRESIDÊNCIA - Lariessa Soligo Da Campo - Carretel Cia. Teatral (SC)
VICE PRESIDÊNCIA – Bárbara Biscaro, artista de Florianópolis (SC)
SECRETARIA – Vânia Peruzzo - Grupo Teatral Piliquinha, de Concórdia (SC)
TESOURARIA – Leandro Magalhães - Sua Cia. de Teatro, Itajaí (SC)
PROJETOS – Fred Paiva - Colher de Pau Cia. Teatro, de Jaraguá do Sul (SC)
COMUNICAÇÃO – Emanuele Mattiello - EM Produções, de Florianópolis (SC)

CONSELHO CONSULTIVO
Cássio Correia, de Joinville (SC)
Gláucia Grígolo, de Florianópolis (SC)
Qiah Salla, de Rio do Sul (SC)
Silvestre Ferreira, de Joinville (SC)
Valéria de Oliveira, de Itajaí (SC)

CONSELHO FISCAL
Marcelo de Mello, de Joinville (SC)
Deise Corrêa, de Rio Negrinho (SC)
Rodolfo Lemos, de Itajaí (SC)